Metade ou vida?






" Eu conheço as tuas obras, serviço, fé, amor, perseverança e crescimento." Ap. 2.19

No 1º livro dos Reis, capítulo 3  a partir do versículo 16, é narrada a história de duas mulheres que se apreesentaram ao rei Salomão por causa de seus bebês. Uma delas matou seu próprio filho sufocado, enquanto dormia. Rapidamente trocou os bebês.
No outro dia, quando a outra mulher acordou, desesperou-se por achar que seu filho estava morto, mas atentando bem para o bebê, percebeu que não era seu filho. As duas então começam a brigar pelo bebê vivo. Salomão, sabiamente, manda dividir o bebê em duas partes e entregar a cada mãe um pedaço. A mãe verdadeira, deseperadamente, suplica ao rei que entregue a outra mulher pois não poderia ver seu filho morto. Desta forma, Salomão descobre quem era a verdadeira mãe, pois o amor materno não é egoísta a ponto de matar para se ter, mas é um amor abnegado e altruísta.
É a partir deste texto que faço uma reflexão.
Em primeiro lugar, nós somos iguais perante Deus e tudo acontece igualmente a todos.Casa, família, amigos, trabalho, problemas, decepções, rejeições, desprezo... Não somos pessoas diferentes que passam por problemas diferentes. Pelo contrário, a vida se apresenta a cada um de nós do mesmo jeito. Alegrias e tristezas, ganhos e perdas, saúde e doenças, aceitação e rejeição, etc. Cabe a nós o modo de encarar todas as coisas, cabe a nós a força de superação, equilíbrio e firmeza para ir até o fim.
"Enquanto dormia", de madrugada o pior aconteceu: a troca dos bebês! Madrugada nos remete à escuridão, solidão, sono, cansaço... Todos nós temos um momento "madrugada' em nossa vida. Quantas vezes passamos por situações difíceis e nos encontramos solitários, ou mesmo o cansaço do dia a dia nos deixa adormecer e não conseguimos vigiar, estar alerta para que nada escape ao nosso controle. Mas, quando adormecemos, no meio da madrugada, o próprio inimigo de nossas almas retira o nosso bem mais precioso, nosso fruto e simplesmente não percebemos! Num primeiro momento, aceitamos a derrota e nos conformamos coma a perda do que é mais precioso em nossas vidas.
Mas, ainda dá tempo! A palavra do Senhor nos diz que se ouvirmos a sua voz, Ele vem até nós e nos resgata!
Aquela mulher, ao olhar atentamente para o bebê viu que não era o seu e resolveu procurar ajuda.
Nas nossas crises pessoais, em nosso cansaço ou até em nossa distração, podemos olhar atentamente para o problema, aquilo que quer trazer a morte em nossa casa, em nossos sonhos e em nosso ministério. Deus é o nosso juiz, nosso rei e Ele poderá nos socorrer! A solução virá, mas não será do jeito que queremos! E é tão interessante que a solução não depende apenas da vontade do Rei, depende de nós! A decisão veio no momento mais crítico, no momento que parecia de perda total. E é assim que devemos agir. Avitória vem quando nós agimos em favor da VIDA, em favor do AMOR. No momento mais difícil, mais crítico da sua vida, aja em favor do amor e em favor da vida, mesmo que para você este momento pareça de perda. Creia que o verdadeiro amor que vem de Deus é um amor sacrificial e imensurável.
Você vai ficar com a metade ou vai entregar tudo? Prefere a metade com morte, angústia ou abre mão pela vida?
Entregar tudo significa abrir mão do reconhecimento, abrir mão de ter para ser! 
"Eu conheço", é o que Deus nos diz. Ele conhece suas obras, seu serviço, fé, amor, perseverança e crescimento. O que precisamos mais? Ainda que ninguém saiba o que você tem feito na obra de Deus, Deus conhece. Ainda que ninguém veja sua fé, Deus conhece. Ainda que ninguém retribua seu amor, Deus conhece.
Lembre-se que obras é a demonstração material da mudança que Jesus faz em nossa vida. A fé sem obras é morta. Nossas ações devem ser exemplo para os não-cristãos.
Amor é atitude e não um sentimento. Deus amou e deu seu filho, ou seja, agiu por amor.
A fé é a certeza que Deus está trabalhando em favor do servo fiel e a perseverança é a capacidade de nos mantermos fiimes e constantes,  ainda que tudo pareça estar perdido.
E para fnalizar, Deus vê e conhece nosso crescimento, isto porque é através das nossas tribulações que crescemos. Através das situações adversas que adquirimos experiência. Se ainda sente dificuldades em alguma tribulação que esteja passando, peça a Deus que lhe dê a graça e entendimento. Nossas tribulaçoes são como provas finais, se  não passamos nessa avaliação não poderemos adquirir nossa aprovação naquela matéria. Talvez você tenha sido aprovado em algumas matérias, mas em outras continua em recuperação!
Como está seu amor, sua fé, perseverança e seu crescimento? Eu não sei, mas Deus conhece!
Um beijo no seu coração,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A ponte do perdão

Produza pérola

O anel