Felicidade X Perversidade



Durante aproximadamente um mês, uma frase está ‘martelando’ minha cabeça: “Não permita que a perversidade do outro mude minha atitude e meu foco.” 
Isso é mais que uma grande verdade, é um estilo de vida! Quando escolhemos viver em paz com todos, ou seja, não mudamos porque alguém nos machucou ou porque fomos injustiçados, escolhemos ser felizes. A verdadeira felicidade não dependente da alegria, não depende da justiça, não depende da honra ou das riquezas. A verdadeira felicidade depende de como queremos viver com nossos semelhantes. Precisamos viver nossa vida sem nos preocupar com a reação do próximo ou da mudança que esperamos nele. Eu preciso ser diferente!
O que mais tenho visto são pessoas reagindo de forma grosseira às agressões, tratando com dureza às afrontas e julgamento... Mas, você me diz: - E o que tem de errado nisso? Eu respondo: -  Tudo!
Em Mateus, no sermão do monte, Jesus convida seus  discípulos a se sentarem e ouvirem o que traz felicidade ao ser humano: 
"E Jesus vendo a multidão subiu num monte, e sentando-se, aproximaram-se dele os discípulos.
E abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:
Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.
Bem-aventurados os que tem fome e sede de Justiça, porque serão fartos.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão a Misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a face e Deus.
Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da Justiça, porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem, perseguirem e mentirem, dizendo todo mal contra vós por minha causa.
Exultai e alegrai-vos, porque é grande vosso galardão nos céus, porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós."
             Gosto de pensar que estamos na contramão do mundo. Num mundo onde todos buscam os seus direitos, nós buscamos a felicidade. Felicidade de poder deitar nossa cabeça no travesseiro e saber que fizemos nossa parte, ainda que o outro não tenha mudado ou reconhecido o seu erro.
            Quando agimos dessa forma, deixamos para Deus resolver o que nós não podemos. Mas quando olhamos para a perversidade, ficamos com medo, fugimos ou entramos em um embate sem fim.
            Olhe para o sermão do monte e permita que o Espírito Santo realize a obra que você nunca conseguirá realizar! A mudança que queremos no outro só será possível quando nós mudarmos nossa atitude e aprendermos com Jesus que é manso e humilde de coração...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Produza pérola

Se não quiser adoecer... Dr. Drauzio Varella

Voe mais alto